Novas Zonas Servidas por Água e Esgotos

Entrada em funcionamento da Rede de Águas Residuais Domésticas em Santo Estevão (Cruzamento do Caminho do Meio com EM 514-3, direcção de Santo Estevão) - Setembro 2008
 
Na sequência da conclusão dos trabalhos de construção da Rede de Águas Residuais Domésticas em Santo Estevão (Cruzamento do Caminho do Meio com EM 514-3, direcção de Santo Estevão), o sistema de drenagem de esgotos encontra-se em condições de poder entrar em funcionamento, pelo que deverão ser iniciados os trabalhos de ligação das propriedades abrangidas à rede geral.

Nos termos do Regulamento de Saneamento em vigor, é obrigatório estabelecer as canalizações e dispositivos interiores necessários à recolha, isolamento e completa drenagem das águas residuais, e, ainda, ligar essas instalações à respectiva rede geral de águas residuais através de ramais independentes nos aglomerados populacionais servidos por redes gerais de águas residuais como passa a ser o vosso caso.

Os proprietários ou usufrutuários dos prédios onde existam fossas de despejo de matérias fecais ou de águas residuais ou quaisquer sistemas de tratamento e/ou eliminação individuais são obrigados a entulhá-los dentro de 30 dias após a entrada em funcionamento do sistema, depois de esvaziados e desinfectados, sendo enterradas as matérias retiradas.

Passa igualmente a ser proibido construir fossas sépticas, ou quaisquer sistemas de tratamento e/ou eliminação de águas residuais.

Mais se informamos que a ligação das águas residuais domésticas à respectiva infra-estrutura deverá ser feita no prazo de dois meses, período durante o qual os proprietários deverão proceder à ligação das redes privadas à rede geral, através das caixas de ramal deixadas junto de cada prédio, sendo a intersecção do esgoto privado feita antes da respectiva fossa, e não será debitado qualquer valor. Findo este prazo (no dia 1-11-2008), a facturação mensal passará a incluir a rubrica saneamento, independentemente daquela ligação se encontrar executada ou não.

 

Entrada em funcionamento da Rede de Águas Residuais Domésticas na Campina de Santiago - Estrada da Palmeira - Setembro 2008
 
Na sequência da conclusão dos trabalhos de construção da Rede de Águas Residuais Domésticas na Campina de Santiago - Estrada da Palmeira, o sistema de drenagem de esgotos encontra-se em condições de poder entrar em funcionamento, pelo que deverão ser iniciados os trabalhos de ligação das propriedades abrangidas à rede geral.

Nos termos do Regulamento de Saneamento em vigor, é obrigatório estabelecer as canalizações e dispositivos interiores necessários à recolha, isolamento e completa drenagem das águas residuais, e, ainda, ligar essas instalações à respectiva rede geral de águas residuais através de ramais independentes nos aglomerados populacionais servidos por redes gerais de águas residuais como passa a ser o vosso caso.

Os proprietários ou usufrutuários dos prédios onde existam fossas de despejo de matérias fecais ou de águas residuais ou quaisquer sistemas de tratamento e/ou eliminação individuais são obrigados a entulhá-los dentro de 30 dias após a entrada em funcionamento do sistema, depois de esvaziados e desinfectados, sendo enterradas as matérias retiradas.

Passa igualmente a ser proibido construir fossas sépticas, ou quaisquer sistemas de tratamento e/ou eliminação de águas residuais.

Mais se informamos que a ligação das águas residuais domésticas à respectiva infra-estrutura deverá ser feita no prazo de dois meses, período durante o qual os proprietários deverão proceder à ligação das redes privadas à rede geral, através das caixas de ramal deixadas junto de cada prédio, sendo a intersecção do esgoto privado feita antes da respectiva fossa, e não será debitado qualquer valor. Findo este prazo (no dia 1-11-2008), a facturação mensal passará a incluir a rubrica saneamento, independentemente daquela ligação se encontrar executada ou não.

 

Entrada em funcionamento do sistema de drenagem de esgotos no sítio do Rato - Maio 2008
 
Na sequência dos trabalhos já realizados, encontra-se o sistema de drenagem de esgotos em condições de poder entrar em funcionamento.

Nestas condições, informa-se os moradores servidos que deverão proceder às respectivas ligações domiciliárias à caixa de ramal existente junto ao prédio.

Mais se informa que a tarifa de saneamento começará a ser cobrada com a facturação do consumo de água do próximo mês de Agosto, independentemente da ligação domiciliária se encontrar, ou não, efectuada.

 

Entrada em funcionamento da rede de distribuição domiciliária de água no sítio da Capelinha – Maio 2008
 
Na sequência dos trabalhos já realizados, encontra-se o sistema de abastecimento domiciliário de água em condições de poder entrar em funcionamento.

Nestas condições, informa-se os moradores servidos por esta rede de distribuição de água, que deverão proceder à execução das caixas para instalação de contadores e posteriormente solicitar os respectivos contadores. Encontra-se disponível neste site, no separador “Atendimento ao Munícipe”, toda a informação e impressos necessários à elaboração dos respectivos contratos (Contrato de fornecimento de água e Adenda a Contrato)

 

Entrada em funcionamento do sistema de drenagem de esgotos na Ilha de Tavira - Maio 2008
 
Na sequência dos trabalhos já realizados, encontra-se o sistema de drenagem de esgotos em condições de poder entrar em funcionamento.

Nestas condições, informa-se os moradores servidos que deverão proceder às respectivas ligações domiciliárias à caixa de ramal existente junto ao prédio.

Mais se informa que a tarifa de saneamento começará a ser cobrada com a facturação do consumo de água do próximo mês de Julho, independentemente da ligação domiciliária se encontrar, ou não, efectuada.

 

Entrada em funcionamento da rede de distribuição domiciliária de água e de esgotos nos sítios da Feiteira e Mealha – Dezembro 2007
 

Máquina a EscavarNa sequência dos trabalhos que têm vindo a ser desenvolvidos nestes aglomerados, encontram-se os sistemas de distribuição domiciliária de água e de drenagem e tratamento de esgotos em condições de poder entrar em funcionamento.

Nestas condições, informa-se os moradores servidos pelas redes de distribuição de água em execução, que, a partir do dia 1 de Dezembro, deverão pedir os respectivos contadores de modo a poderem usufruir de água em casa.

Para o efeito, deverão também preparar as condições necessárias à colocação do contador, com a execução da respectiva caixa.

Construção da TorreMais se informa que, até ao fim do mês de Dezembro, se irá proceder à desactivação dos fontanários localizados nas zonas servidas por abastecimento domiciliário de água.

Para efeitos da ligação das águas residuais domésticas à respectiva infra-estrutura, é concedido um prazo de dois meses, período durante o qual não será debitada a tarifa variável. Findo este prazo, a facturação passará a ser afectada desta tarifa, independentemente daquela ligação se encontrar executada ou não.

 

 

Entrada em funcionamento da rede de distribuição domiciliária de água e de esgotos nos sítios de Carrapateira, Nora, Várzeas, Casas de Baixo, Monte Novo - Agosto 2007

Na sequência dos trabalhos que têm vindo a ser desenvolvidos nestes aglomerados, encontram-se os sistemas de distribuição domiciliária de água e de drenagem e tratamento de esgotos em condições de poder entrar em funcionamento.

Neste sentido, informa-se os moradores servidos por esta rede de distribuição de água, que deverão pedir os respectivos contadores de modo a poderem usufruir de água em casa. Encontra-se disponível neste site, no separador “Atendimento ao Munícipe”, toda a informação e impressos necessários à elaboração dos respectivos contratos (Contrato de fornecimento de água e Adenda a Contrato)

Para o efeito, deverão também preparar as condições necessárias à colocação do contador, com a execução da respectiva caixa.

Mais se informa que até fim do mês de Agosto/2007, se irá proceder à desactivação dos fontanários localizados na zona.

Para efeitos da ligação das águas residuais domésticas à respectiva infra-estrutura, é concedido um prazo de dois meses, período durante o qual não será debitada a tarifa variável. Findo este prazo, a facturação passará a ser afectada desta tarifa, independentemente daquela ligação se encontrar executada ou não.

 
 
© 2007 Taviraverde - Empresa Municipal de Ambiente, E.M. - Todos os direitos reservados.
Design IP Quatro - Desenvolvimento ADJ 3 Sistemas, Lda.